terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Poema para o outono




..........
Outonos

Há outonos que
se desprendem
do tempo linear
e pousam nas mãos
que remexem, no sótão,
fotografias antigas.

Outonos no sol
e no céu de maio -
azul mais azul.

Há outonos nos silêncios
mais que nas folhas
que tombam
antes de rodopiarem
no vento.

Outonos nas mãos que
fartas de semearem se
preparam para colheitas.

E outonos subversivos
que intumecem os caules
e se refletem nas texturas
avermelhadas das rosas
inocentes dos outonos
sutis que as espreitam.
Ana Lúcia Franco - 2010

3 comentários:

Ana Tapadas disse...

Que belo!
Beijo

Emoções disse...

A beleza existe em tudo - tanto no bem como no mal. Mas somente os artistas e poetas sabem encontrá-la."

Marcelino disse...

Gostei dessa última estrofe, dos outonos subversivos (com caules intumescidos) e dos outonos sutis (com rosas inocentes).